Terra Nostra

 

Brazil. Rede Globo. 1999.

You may share this information, but you may not sell it or include it in anything you sell. In addition, you must give credit to Telenovela-World (for the collection) and all the sources. /  Puede compartir esta información, pero no puede venderla o incluirla en cualquier cosa que se venda. Tambien, tiene que dar crédito a Telenovela-World (por la colección) y retiene todas las fuentes.

 

Sources/Fuentes: Telenovela-World (www.telenovela-world.com), otros publicaciónes citados con los noticias.

 

Please send additions, changes, corrections to diane@telenovela-world.com/ Por favor, envie adiciónes, cambios o correcciónes a diane@telenovela-world.com.

.    Telenovelas-Internet.com. Subject: Preview of Terra Nostra Author: Susan K. (207.17.58.107) Date: 11-24-2000 23:45 If you didn't catch this, don't worry, that great Venezuelan site someone posted ( www.televen.com, click on novelas, then Terra Nostra) gives details on characters, actors, plot etc. The plantation owner is played by the actor who was Atilio in Amor Sin Limite. Juliana's boss looks like the same actress who played Elena's sister in ASL. Juliana and Mateo, Italian immigrants, fall in love on a boat headed for Brazil in the late 19th century. An epidemic on the ship kills many of the passengers. Mateo catches the illness and is nursed by Juliana, despite his objections. Somehow the 2 lose each other while getting off the ship in Brazil. Juliana moves in as a servant to a wealthy family. She is engaged to a man she doesn't know, despite still being in love with Mateo. Mateo works on a coffee plantation and becomes a labor leader. His boss's daughter falls in love with him, and lies and schemes to try to make him her husband. Her sister is a sweet girl who wants to be a nun, but her father wants her to marry. The father had an affair with a slave girl. After liberation, one little slave boy stays because he thinks that the plantation owner is his father. Bartolo is another Italian immigrant headed for Brazil. Thinking his daughter has died from the epidemic, he tries to kill himself, but is saved by the ship's crew. He is a leader of the farmworkers and a friend of Mateo. One of the writers said the extras spent about 10 days filming on the boat (correct me if I'm wrong, Spanish is not my first language. Naturally, the writer mostly spoke in Portuguese (of which my reading comprehension is better than my oral understanding.) Globo spent a lot of money just on food for the boat scenes. The first 2 episodes cost more than a million dollars to make. Globo spent 26 million building a Victorian era town for TN. TN had 1000 people in its cast, including actors, crew, and extras. It took a year to make and has 14 pieces of music in its soundtrack. The actress Lu Grimaldi (who played Fausta in Xica) is also in this novela. I hope Merche will do summaries because she catches much more details and writes better than I do. Susan K.

     www.televen.com. De la pluma del reconocido autor Benedito Ruy Barbosa, escritor de obras maestras como Pantanal, Renacer y El Rey del Ganado, llega Terra Nostra, la nueva super producción brasilera que rinde homenaje a los 500 años de Brasil a través de la vida de sus inmigrantes.Antonio Fagundes, Raúl Cortez, Ana Paula Arosio y Thiago Lacerda son apenas algunas de las estrellas que bajo la dirección de Jayme Monjardim protagonizarán esta impresionante historia del desembarque de inmigrantes italianos en el Brasil, a finales del siglo XIX. www.televen.com. Antecedentes Históricos: En 1870, Italia logró su esperada unificación, la que tuvo consecuencias sociales y económicas. El norte del país comenzó a dedicarse al mundo industrial, y las riquezas comenzaban a quedar en manos de muy pocos. Es así como algunos grupos de agricultores, artesanos y comerciantes del norte de Italia emigraron hacia los Estados Unidos, Argentina, Brasil, Uruguay y otras naciones de América Latina.Los barcos de vapor partían de Italia hacia Brasil cargados de millares de Inmigrantes que se amontonaban en la tercera clase. Para muchos, el viaje se convirtió en una desgracia, porque las epidemias diezmaban a individuos, y a veces a familias enteras.Al llegar a tierra, la mayoría de los inmigrantes se trasladaban a zonas que el gobierno de Brasil había dispuesto para ellos, se organizaban en nuevas comunidades y se dedicaban al cultivo de las tierras. Otros sustituían a los esclavos como mano de obra de las grandes haciendas.

     www.televen.com. Trama: Juliana y Mateo son dos jóvenes italianos que se enamoran en un barco que va camino a Brasil, a donde viajan en busca de una vida mejor. Una cadena de hechos confusos hace que esta pareja se separe accidentalmente al llegar a tierra firme, y se ven obligados a tomar caminos separados.Para Ana Paula Arosio, Juliana es una joven inocente, ingenua, pura, dulce y amorosa, factores que le pesarán y la harán sufrir mucho a lo largo de la historia. "En el comienzo de Terra Nostra, Juliana es muy joven y sufre de un modo más abierto, pero con el pasar del tiempo y con los golpes que continuará recibiendo de la vida ella pierde su inocencia para poder sobrevivir", comenta Ana Paula. Thiago Lacerda, a su vez, estuvo acompañado de representantes de la colonia italiana que le enseñaron ese universo. "Yo nunca comí tanta pasta, bebí tanto vino, bailé tanta tarantela, fui a tantos bares, ni me había

 

http://www.rete4.com/terranostra/lastoria.htm.

     Subject: More on Terra Nostra Author: rth (198.81.230.200) Date: 10-10-2000 19:57 By the way, in addition to the info below...the sound track is just "wonderful". Another masterpiece of Marcus Viana, who wrote the music for Chiquiña Gonzaga, Xica and others. +++++++++++++++++ Every day, from Monday to Saturday, at 8:55 PM, millions of Brazilians leave everything they are doing and get around a TV set to follow the adventures of a group of Italians who went to Brazil at the end of the 19th century. This is a crowd of more than 47 million people interested in Terra Nostra(Our Land), a historic epic that borrowed more than a little from the blockbuster Titanic, with the initial scenes filmed on a Brazil-bound British ship. When the novela (soap opera) Terra Nostra, which premiered September 20, is being aired, 65 percent of the TV sets turned on are on Globo. Globo Network has this kind of power and appeal. From the top 30 programs on a recent month, 27 belonged to Globo and only three to SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), the second-place network. The first SBT program on the list was the Sunday show Jogo do Milhão (The Million Game), which appeared in 22nd place. Despite the widespread of remote-controlled TVs the remote seems to be lost in most Brazilians residences. Some people, apparently, never bother to change the channel. Directed by Jayme Monjardim, 43, Terra Nostra intends to show, in 240 chapters to be developed in a 10-month period, 100 years of Italian immigration to Brazil. Monjardim has been criticized in the past for his cinematographic way of filming, considered too slow in an MTV era, but the audience ratings show that the public is liking it. The director is the great-grandson of Francesco Matarazzo, the best example of a successful Italian immigrant, who built an empire. The novela's author, Benedito Ruy Barbosa, is famous for several acclaimed novelas, including Renascer (To Be Reborn) e O Rei do Gado (The Cattle King). To keep pace with the narrative on the little screen, he has to write 36 pages of the story everyday. After writing O Rei do Gado, Barbosa had decided not to write novelas anymore and retired to his house in Sorocaba, in the interior of São Paulo. It was there that Marluce Dias da Silva, Globo's executive superintendent, went to convince the author to once again cast his spell. One of her enticements: "Imagine anything you want. And we will do it." Barbosa didn't resist long. The first chapter of the novela shot at England's Southampton harbor aboard the SS Shieldhall used 300 European extras and cost $700 thousand. The story starts in 1896 and ends on present-day Brazil. The first part should take around 100 chapters. Terra Nostra is a love story. Young Giuliana (gorgeous Ana Paula Arósio) and Matheu (Thiago Lacerda) board a ship in Italy bound for São Paulo. They meet during the trip, fall in love, but lose each other after arriving in Brazil. Matheu ends up at Gumercindo's (Antônio Fagundes) coffee plantation where the owner is a wicked tyrant. Giuliana goes to work with industrialist Francesco (Raul Cortez). But as in any novela, there are many, many more plots, all occurring at the same time. Ana Paula Arósio, 23, the heroine of Terra Nostra, thanks to the new soap, has just entered the very exclusive club of TV's big stars in Brazil. She is not new to the glamorous world of models and celebrities, though. Her serene beauty has been shown in more than 250 magazine covers, most of them before she became a household name. She first drew national attention by appearing in early 1998 as a prostitute in Hilda Furacão, a Globo miniseries based on Roberto Drummond's book of same name. It is the real-life story of an upper middle-class housewife from Belo Horizonte, capital of Minas Gerais, who became a prostitute. Italy Is Here Thanks to the novela, everything Italian has become fashionable in Brazil and it is now common for people to intersperse their conversation with Italian tidbits like amore mio, ecco, andiamo, va bene, and caspita, plus the expansive gesturing attributed to Italians. Italian music has been selling much more, people are paying more attention to Italian food, and schools of Italian language are getting more students than ever. São Paulo, Brazil's most important and cosmopolitan city, has today the third biggest Italian colony in the world (only Buenos Aires and New York are bigger). That's because between 1870 and 1920 around 1.5 million Italian immigrants moved to Brazil, 70 percent of them to São Paulo state. They went to Brazil drawn by the need for workers by the São Paulo coffee farmers, who had to replace the slaves freed in 1888. Since 1850, the traffic of black slaves had been prohibited and starting in 1871 children born from slaves were born free. Italians were lured by an army of 20,000 Brazilian agents selling to poor Italians the false dream of working for a little and then becoming prosperous farmers. Very few made it big. One of them was Francesco Matarazzo, who arrived in Brazil in 1881, at age 27, and built an empire—today immersed in debts—comprising 365 companies and employing 30,000 people. The Matarazzo group in the 1970s was in the top 500 world corporations. Terra Nostra pays homage to Matarazzo through Francesco Magliano (interpreted by Raul Cortez), a main character inspired by Francesco Matarazzo. Terra Nostra has become more than a hit novela. It is also a line of products. Together with all the new characters, Globo also launched through licensing a series of Terra Nostra goodies, including wines, tomato pastes and sauces. It is not the first time that the media leviathan does that—other past novelas like Tropicaliente and O Rei do Gado also introduced new products to the market—but, Terra Nostra has brought this concept to a new level of sophistication. fin

 

     www.redeglobo.com.br. Story of Immigration. Itália: tempos difíceis Em 1870, a Itália conseguiu sua unificação que, em conseqüência, fortaleceu a especulação capitalista.O norte ingressou mais no campo industrial e as riquezas foram se acumulando nas mãos de poucos, enquanto o sul, agrícola, continuava em situação de pobreza e abandonoParticularmente, o norte sentiu a pressão populacional com o regresso dos operários italianos dos países vizinhos, com a falta de mão-de-obra e o já intenso retalhamento das terras destinadas à agricultura.Sendo assim, é do norte da Itália que procede o maior número de imigrantes para os Estados Unidos, Brasil, Argentina, Uruguai e outras nações da América Latina.Para esses locais foi enviado um contigente de italianos agricultores, além de um pequeno número de artesãos e comerciantes.A viagem Os navios a vapor partiam da Itália para o Brasil carregando milhares de imigrantes, que se amontoavam na terceira classe. Para muitos, a viagem à América se tornou uma desgraça. Epidemias dizimavam indivíduos e, à vezes, famílias inteiras. Alguns doentes, quando estavam quase no fim da vida, eram embrulhados em lençóis e jogados, vivos, ao mar. Isso era feito para acabar com o sofrimento e evitar o contágio dos outros passageiros. Os navios tinham que ficar de quarentena em alto-mar, antes de chegar em terra firme, para não contaminar os habitantes. Por esta razão, constatada a impossibilidade de cura e a morte inevitável, era abreviado os dias do doente, em favor da saúde de toda a embarcação.A colonização no Sul Em 1875, o Governo Imperial decidiu continuar, no Sul, a colonização, provavelmente motivado pelo êxito da colonização alemã, iniciada 50 anos antes (1824), em São Leopoldo. Para dar continuidade à interiorização da população do Rio Grande do Sul, nos anos de 1875 e 1876, o Governo Imperial reivindicou os territórios das posteriores colônias Cônde’Eu (atual Garibaldi) e Dona Isabel (atual Bento Gonçalves).O Governo Geral promoveu o povoamento de Conde d’Eu e Dona Isabel, fundando, em 1875, uma nova colônia, chamada “Fundos de Nova Palmira”. O local foi rebatizado, em 1877, com o nome “colônia Caxias”, que se tornaria o centro da colonização italiana.No anos de 1877, dois anos após ter assumido os trabalhos de colonização, o Governo resolveu criar mais uma colônia para imigrantes italianos, utilizando as terras da mata próxima de Santa Maria, surgindo a colônia Silveira Martins. Esses foram os principais núcleos da imigração italiana.Em 1885, com a campanha abolicionista, a colonização foi retomada e muitas outras comunidades foram sendo formadas.Movidos pela fé Os imigrantes italianos eram movidos pela solidariedade cristã e, devido ao isolamento em que se encontravam, logo se organizavam em comunidades.Esses núcleos se caracterizavam pelo cultivo da amizade entre os participantes e pela fé religiosa. Os imigrantes, ao saírem da Itália, depositavam sua confiança em Deus e no Brasil, agradecendo ao Senhor pela nova pátria, sem jamais esquecer a família e os amigos deixados em solo italiano. contato com a terraO imigrante italiano, no início, foi obrigado a optar pelo plantio de frutas silvestres e pela caça. Sem uma agricultura mecanizada, teve que empregar o fogo para proceder à limpeza das glebas para o plantio. Numa interação plena com a natureza, de pés descalços, o italiano criou uma tradição de amor à natureza e de gosto pelo cultivo. Mas, ao ingressar no comércio e na indústria, o imigrante foi perdendo, gradualmente, o contato com a terra.A renúncia ao idioma Em um dado momento, pediu-se ao italiano que ele renunciasse a sua língua e falasse o português. A justificativa era a de que a medida protegeria a cultura brasileira, evitando que se formassem duas pátrias alienígenas.Com a proibição de falar a língua materna e a punição que lhe reservava, cresceu o sentido de inferioridade para aqueles que vieram colonizar o país.O êxodo rural O abandono do agricultor italiano as suas glebas e a marginalização cultural, deu-lhe a sensação se ser um elemento estranho e perigoso em um determinado momento da história, sem poder pronunciar-se em sua própria língua e sem ter aprendido a língua adotada.A exploração comercial, bem como a força das instituições industriais e comerciais, fizeram com que a vida agrícola fosse sendo, pouco a pouco, abandonada.O êxodo rural começou a desencadear, impulsionado pela frustração e idéia de que a vida rural seria uma espécie de purgatório, da qual a pessoa, a todo preço, deveria se libertar.Dura realidade e retomadas A mentalidade de aventura, a coragem diante das dificuldades e do trabalho, o sonho de ser proprietário, se transformou para muitos descendentes italianos, na triste realidade de empregados mal pagos, sujeitos à exploração no trabalho.A modificação do direcionamento para a vida urbana, no entanto, trouxe de volta as experiências culturais apagadas. Velho hábitos foram sendo reconquistados, como a alimentação, medicina doméstica, prevenção contra doenças, bem como o estudo da própria língua. educaçãoFazia-se distinção entre educação e ensino. O ensino abrangia conhecimentos ministrados pelo professor e a educação consistia em seguir determinados comportamentos e evitar outros. Os comportamentos a serem reprimidos envolviam, geralmente, o castigo físico: tapão, pontapé, vara de marmelo e privação de comida. As escolas da época traduziam essas formas físicas de repressão para a palmatória, o genuflexório sobre grãos de milho e o ficar de pé contra a parede.Para os italianos, o castigo físico, além de impedir os comportamentos indesejados, tinha a força de tornar a pessoa consciente de seus deveres pelo resto da vida.

 

     www.redeglobo.com.br. Produzione. Produção da novela. Trama.: A paixão em alto-marAna Paula Arósio e Thiago Lacerda são os protagonistas de “Terra Nostra”, que apresenta cenas grandiosas da travessia e do desembarque de centenas de imigrantes que vêm da Itália para o Brasil no fim do século XIX.Todos partem à procura de um mundo melhor, assim como Juliana e Matheu. Quando eles chegam ao porto de Santos, se perdem um do outro provocando, desta forma, a criação de dois universos paralelos na novela: o rural, para onde Matheu vai, e o urbano, que acolhe Juliana.Para Ana Paula, Juliana é inocente, ingênua, pura, doce e amorosa ao extremo, fatores que pesarão muito na história, já que irá sofrer muito. "No começo de “Terra Nostra”, Juliana é muito menina e sofre de um modo mais aberto: chora e se descabela. Mas, com o passar do tempo e com os golpes que continuará recebendo da vida, ela perde esta inocência para poder sobreviver". Para interpretar Juliana, Ana Paula adotou uma longa cabeleira e teve de fazer algumas aulas de italiano para dar maior fluência às falas de seu personagem no início da novela, quando os imigrantes se comunicam numa mistura de italiano e português, na dosagem suficiente para ser entendido pelo grande público.Aos poucos, o português tomará conta dos diálogos, à medida em que os personagens estejam aprendendo nossa língua. "Eu já falava um pouco de italiano", conta Ana Paula, que morou alguns meses em Milão trabalhando como modelo, “e, como boa paulista e descendente de italianos, conhecia alguns hábitos deste povo alegre e jovial". Este não foi o caso de Thiago Lacerda, carioca da Zona Norte do Rio, que passou algumas semanas em São Paulo, sempre ao lado de representantes da colônia italiana, que o apresentaram a este novo universo. "Eu nunca comi tanta pasta, bebi tanto vinho, dancei tanta tarantela, fui a tantas cantinas, nem me diverti tanto em minha vida", declara o ator, que também teve algumas aulas de italiano.Quanto ao personagem, Thiago tem somente elogios. "Matheu é um herói. Tem brio, força, é honesto, trabalhador, forte, sincero e, principalmente, apaixonado. Espero, sinceramente, que em algum momento da história ele possa voltar a ficar com a sua querida Juliana".

          A realidade em terra firme O universo rural é dominado pela figura de Gumercindo (Antônio Fagundes), um poderoso fazendeiro de café do interior de São Paulo, que recebe os imigrantes para trabalhar na lavoura de suas terras, abandonadas desde a Abolição. Herdeiro da cultura escravocrata, o personagem tem alguns problemas no trato com os italianos e o choque cultural é inevitável. "Os imigrantes que chegavam às fazendas eram muito pobres, até miseráveis, mas tinham um conceito de liberdade muito elevado e plena consciência de seus direitos", acredita Fagundes, que já participou de várias novelas de Benedito Ruy Barbosa. "Admiro profundamente o trabalho deste autor e quando me dizem que o texto é dele nem pergunto qual será meu personagem, já que confio plenamente em sua capacidade", elogia. Fagundes vê a novela como uma possibilidade de resgatar um pouco a história do Brasil. "Trabalhos como este, que descrevem o passado, batem em nossa tecla da formação cultural e nos permitem discutir a identidade brasileira, uma coisa muito importante no aniversário dos 500 anos do país". umercindo é casado com Maria do Socorro (Débora Duarte), uma mulher que retrata o perfil feminino da época, que se subjugava às vontades, desejos e ordens do marido. O casal tem duas filhas, Rosana (Carolina Kasting) e Angélica (Paloma Duarte), mas Gumercindo não se conforma com o fato de não ter um filho homem. Com a chegada dos italianos, a rotina deles muda completamente e Matheu acaba fazendo parte, a contragosto, da família do fazendeiro. uliana é recebida no porto de Santos pelo grande amigo de seu pai, Francesco (Raul Cortez). Ao saber da morte dos pais da moça no navio, ele leva a menina para sua rica casa na Avenida Paulista e a tratará com uma filha.Francesco já vive há vários anos no Brasil, onde chegou com algum capital e acabou ficando rico emprestando dinheiro para brasileiros. Para Raul Cortez, o personagem homenageia os italianos que conseguiram progredir no Brasil. "Ele é um homem voltado para o futuro, feliz por ter encontrado na nova pátria um lugar para crescer e muito agradecido ao país pela chance de progresso que encontrou aqui".Porém, Francesco nunca esqueceu suas origens e luta para ser respeitado como italiano e empresário, em uma sociedade que tratava os imigrantes com desconfiança e até desprezo. Casado com Janete (Ângela Vieira), conseguiu realizar o sonho de "fazer a América" e funda a Casa Bancária Ítalo-Brasileira, em uma referência aos primeiros bancos do país. Muito rico, vê com bons olhos o amor que seu filho Marco Antônio (Marcello Antony) sente por Juliana, já que o convívio com a bela italianinha faz com que ele mude de atitude, começando a se interessar pelos negócios da família. "A Juliana é para Francesco como um pedacinho da própria Itália em sua casa", conta Raul, feliz por poder participar de mais este trabalho de Benedito Ruy Barbosa. "É muito importante o resgate que o autor faz de nossa memória, uma memória tão rica e bela e ao mesmo tempo tão esquecida", diz.

     Autore: Benedito Ruy BarbosaHá 33 anos o jornalista paulista Benedito Ruy Barbosa escreve novelas. Ele é, sem dúvida, um dos mais famosos e importantes autores do Brasil.Seu primeiro trabalho foi “Somos Todos Irmãos”, na TV Tupi. “Pantanal”, “Renascer” e “O Rei do Gado” foram seus trabalhos mais recentes.Em “Terra Nostra”, Benedito retoma a saga dos estrangeiros que ajudaram a formar a nossa nação, tema também de “Os Imigrantes”, sucesso da década de 80. "No tombadilho daquele navio havia duas mil pessoas. Duas mil histórias a serem contadas, cheias de emoção e lições de vida. Por isso, voltei àquele tombadilho e escolhi outros personagens para fazer parte desta nova trama", conta o autor.Para Benedito, “Terra Nostra” é um grande painel do último século, sendo três novelas em uma só. Entre cada uma das três fases previstas haverá uma passagem de tempo, pela qual personagens e trama sofrerão modificações.Nem ele sabe exatamente que períodos abordará mas, em princípio, a primeira fase vai até 1930, a segunda cobre os anos do pós-guerra até 1964, e a terceira começa em 1980, indo até o fim deste século. "Isto ainda pode mudar, pois tudo dependerá de como a trama fluir em minha mente", diz. Para contar a saga dos imigrantes, o autorusa referências da sua própria vida. Comobom paulista, conhece bem o universo dositalianos. lém disso, é neto de pessoas que vieram "fazer a América" no Brasil. "Sou uma mistura de italianos, franceses, espanhóis e portugueses. Durante minha infância, na cidade de Veracruz, convivi muito com os imigrantes que moravam na região", conta.Com o objetivo de ilustrar os grandes momentos de nosso século, Benedito usou em sua pesquisa notícias de jornais de época. A História entra como pano de fundo da vida dos personagens podendo interferir em alguns momentos do cotidiano da trama. A epidemia da febre amarela, por exemplo, que assolou os cafezais no fim do século passado, é contada. "Vou aproveitar para mostrar os sintomas da doença, os remédios que eram usados, o tratamento, assim como as pesquisas científicas desenvolvidas no período no país e no mundo, fatos que poucos, hoje em dia, conhecem", antecipa.Além dos jornais, o autor também cria situações a partir de histórias verdadeiras que coleciona há vários anos."Muita gente me escreve contando fatos que aconteceram em sua família, me mandando documentos e até fotos dos antepassados. Guardo todas estas lembranças com muito carinho e, às vezes, utilizo em minhas tramas".Logo no primeiro capítulo de “Terra Nostra”, Benedito inclui uma destas histórias reais em cenas dramáticas da travessia. Quando a peste toma conta da embarcação, todos acreditam que um bebê, filho de Leonora (Lu Grimaldi) e Bartolo (Antônio Calloni), esteja doente e decidem que deve ser jogado ao mar, para evitar o contágio. A mãe, inconformada, se esconde na sala de máquinas e dias depois, é encontrada com a pequena Rosa nos braços, viva e livre da doença. "Quem me contou esta história e me autorizou a colocá-la na novela foi uma senhora já bastante idosa, que tinha sido, um dia, aquela criança", revela.Mas o autor acredita que a história de amor é a principal isca para o púbico. "É uma história maravilhosa a de Juliana e Matheu. Meu estilo de conquistar as pessoas passa sempre pelo emocional e o amor dos dois, apesar de ser repleto de dificuldades e desencontros, com certeza irá fazer com que o público se envolva na trama e torça por um desenlace feliz". Benedito escreverá sozinho os mais de 200 capítulos de “Terra Nostra”, contando apenas com a colaboração de suas duas filhas, Edmara e Edilene, na seleção dos materiais históricos e na pesquisa.São elas também as únicas que sabem o que o autor está preparando para o futuro da trama da novela das oito. "A colaboração delas tem sido essencial no meu trabalho", elogia.

 

     http://network54.com/Hide/Forum/100789: 6/5/01.   Terra Nostra llega a su fase final June 5 2001 at 11:43 PM Esta inolvidable épica llega a su fin el viernes 16 de junio. La historia de amor entre Juliana y Matheo, que empezó hace mucho en un barco, está por conocer su destino final.   Terra Nostra es una superproducción brasileña que significó el regreso a la escena del periodista Benedito Ruy Barbosa.   Este brasileño se había retirado de su oficio de guionista tras escribir el texto de El Rey del Ganado , otra historia sobre la esclavitud en Brasil.   Barbosa había resuelto no escribir más telenovelas y se había mudado al interior de Sao Paulo. Pero una ejecutiva de Globo TV lo buscó, lo encontró y logró convencerlo para que vuelva a guionar Terra Nostra.   La novela fue doblada en varios idiomas y actualmente llega a unas decenas de países, donde día a día miles de televidentes siguen esta historia de amor, que cuenta con excelente vestuario, buena música y grandes actuaciones.

 

 

 

 

 

 

Copyright 2003. www.telenovela-world.com